Rubéola

Doença de alta contagiosidade, que acomete principalmente crianças.

O benefício através da vacinação está relacionada com o risco do aborto, natimorto e malformações congênitas (síndrome da rubéola congênita).

Inicialmente os sintomas são inespecíficos (febre baixa, dor de cabeça, coriza, dor do corpo e articulações tosse e conjuntivite em adultos). O sintoma mais comum é o exantema maculopapular.

A transmissão ocorre por contato direto ou gotículas de espirro ou tosse, eliminados pela pessoa infectada. A contaminação indireta (menos frequente) ocorre por contato de objetos contaminados.

Indicação: Crianças a partir de 12 meses, adultos e idosos.

Apresentações:

  • Tríplice viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola
  • Tetra Viral (Sarampo, Caxumba, Rubéola e Varicela) – Está pode ser aplicada em pessoas de até 12 anos.

Esquema de doses:

  • Crianças a partir de 12 meses: uma dose aos 12 meses, e reforço entre 15 e 24 meses;
  • Crianças a partir de 02 anos de idade e adultos: duas doses com intervalo mínimo de 01 mês.

– A vacina pode ser aplicada a qualquer momento, em qualquer idade, exceto durante a gestação. Idealmente todo adulto deve ter a comprovação de duas doses da vacina, aplicadas em qualquer momento da vida. Pessoas que já tiveram a doença não precisam ser vacinadas.

Para a mulher em idade fértil, é recomendado evitar engravidar nos 30 dias seguintes à vacinação.

Contraindicações: Imunodeprimidos, gestantes e alergia grave (anafilaxia) a um dos componentes da vacina, alergia grave a ovo de galinha (anafilaxia).

Eventos adversos: Raros, mas febre com ou sem exantema ou aumento da parótida que pode surgir entre 07 a 10 dias após a aplicação.

Via de aplicação: Subcutânea (SC).

Enviar mensagem
Estamos online